agosto 17, 2010

tesouros...

Por uma razão de lógica, eu sempre soube que caso a vida não pregasse nenhuma surpresa, minha vózinha morreria antes de mim. Por este motivo, sempre fiz questão de aproveitar cada segundo que pude ter com ela e como sei que gosto de coisas palpáveis guardei algumas "heranças" que para algumas pessoas podem não significar nada, mas que para mim, valem mais que muuuuuuuuuuuuuuito dinheiro.
Hoje, para lembrar das coisas e dos momentos bons, vou mostrar umas coisinhas que eu guardo com todo carinho do mundo:

este paninho ela bordou para mostrar como é que
ela bordava o enxoval dela quando era moça...


aqui ela estava me dando uma aula de "pano amarrado",
conhecido como abrolho...


aqui, ela tentava mostrar como é que fazia "bainha aberta", mas com as limitações da visão e a falta de coordenação motora decorrentes dos oitenta e trálálá anos, saiu assim. No final do trabalho ela disse assim: Ah fia, este aqui é melhor você aprender com sua prima Ivani, ela sim sabe fazer direito.
*pois bem vó, vou aprender com a Ivani.

aqui ela quis pintar um pano e achou o máximo, não queria parar...


Estas coisinhas ficam muito bem guardadas junto com alguns desenhos de lápis de cor que fizemos juntas e uma bandeja de crochê (que é uma das maiores lembranças que eu tenho da casa da minha vó na infância), são os meus tesouros, quando bate a saudade é só dar uma espiadinha para lembrar e sentir todo carinho e dedicação que ela sempre me deu...

2 comentários:

  1. Lyz,

    Eu guardo um cachecol, e tenho certeza que ele é o mais quentinho do mundo!!!

    Beijos,

    A Copê

    ResponderExcluir
  2. oi querida :)
    minha vó, dias antes de ir para o hospital, viu que eu estava gripada. Ela foi até o quarto dela, pegou um potinho de Vick (pomadinha) e deu pra mim. Entre tantas outras coisas, esse simples potinho de Vick é o que mais gosto.
    Abro, sinto o cheirinho e lembro dela.

    Ah, essas vovós né... que saudade.

    ResponderExcluir

fico feliz quando leio o seu recadinho...
obrigada!