agosto 07, 2010

quis e fiz...

Antes da tendinite existir na minha vida, eu era uma mocinha prendada que vira e mexe fazia alguma coisinha de crochê. Sonhava mesmo em fazer uma colcha linda daquelas com squares toda colorida. Um dia estava lendo uns livros antigos de crochê e vi uma manta em Ponto Ripple e me apaixonei. Corri até a loja de linhas e comprei um novelo de cada cor da lã Família da Pingouin. Isto foi em meados de 2003 (eca, tô muito velha... rsrsr) e naquela época eu nem imaginava que um dia existiriam blogs maravilhosos como o da Claudia e da Lucy, ensinando como fazer esta maravilha. Como na maioria das vezes, tentei até conseguir descobrir o bendito ponto, daí ia fazendo cada vez um pouquinho e guardava (já que eu pensava em fazer para meu futuro bebê, não tinha muita pressa mesmo para terminar).
Mas aí apareceu a tendinite e o projeto foi abandonado.
Durante meu período dodói no mês passado, baixou a tricoteira na minha mãe e aí ela queria minhas linhas para fazer sapatinhos e gorrinhos para os netinhos. Fui pegar as linhas e reencontrei minha manta inacabada. Olhei pra ela e ela olhou para mim. Pedi ajuda pra Dona Didi e juntas terminamos. Depois de pronta, minha mantinha também merecia desfilar na net, né?

usei agulha 4,5m porque queria um ponto larguinho

Comecei do meio e fui fazendo uma carreira de cada cor nos dois sentidos, sem me importar com o sentido contrário do ponto.

Quando recomecei o trabalho, acabei trocando as bolas e usando a agulha 5, aí o ponto ficou maior, mas como só faltavam nove carreiras de cores, acabou formando um babadinho e eu gostei.

Não ficou fofo o babadinho?


P.S.: Para quem tem vontade de fazer, o ponto é super simples, com lã rende muito e é bem rápido. Dá uma olhadinha no link das meninas que coloquei lá em cima e mãos a obra.

Um comentário:

fico feliz quando leio o seu recadinho...
obrigada!