julho 31, 2010

questionamentos...


Deus

Eu tava aqui pensando em você.

Você sabe...

É difícil.

Difícil pensar em você como divindade, já que seus representantes por aqui, estão fazendo muita bobagem...

Difícil pensar que é pai, pois minhas referências paternas são puro desastre.

Como mãe também não dá, por que lugar de mãe que se preza, é sagrado, não dá para tirar.

Difícil pensar em você como amigo, pois eu preciso de “mais”.

Amigos são ótimos, ok, tenho que concordar...

Mas, você sabe...

Somos seres humanos e os seres humanos são naturalmente egoístas. Por mais que a gente ame, a gente precisa de alguma forma “garantir o nosso”, cuidar do próprio umbigo e aí querido Deus, fica difícil pensar em você só como amigo.

Não quero um Deus só prá assistir filme e comer pipoca, nem só para falar bobagem, quero um Deus que esteja em mim, que viva comigo e que seja de tudo:

Soberano, pai, mãe e melhor amigo.

Quero poder pedir proteção e bençãos para minha mãe, namorado, irmãos, cunhados, sobrinhos, tias, primos, amigos, afilhados e conhecidos...

Será que você me entende?

Mas aí eu volto mais uma vez prá dizer:

Tá difícil...

Talvez a culpa seja minha...

Talvez não.

Mas me diga, seria possível a culpa ser tua?

... (silêncio!)

Tá vendo...

Assim fica mais difícil.

Falo como uma louca com você o dia inteiro e quando chega à noite te escrevo, mas você nem responde, não me escreve e nem fala comigo.

... (infantil?)

Talvez.

... (carente?)

Muito.

Como posso decretar que você não existe?

Como posso acreditar em outro tipo de deus?

Como posso fingir que não é comigo?

... Difícil.

Tudo bem, vamos lá.

Talvez seja melhor explicar.

Pérai! Deus precisa de explicação?

...(não tonta, você precisa)

Precisando ou não, vou explicar.

Quem sabe te encho tanto o saco que você resolva de uma vez por todas se comunicar.

O negócio é o seguinte.

Não sei quem você é, de onde veio, que cara tem ou que cor é a sua aura.

Não sei se é só um espírito, uma força ou uma energia.

Não sei como é o seu céu, não sei como são seus pensamentos e obviamente não sei como é a sua voz.

Não sei se acredito em tudo que está escrito na Bíblia sem questionar ou se acredito em todas as respostas que outras teorias têm para me dar.

Questionadora e curiosa, você tá cansado de saber que sou.

Mas sabe também que acredito em você, não importam as respostas.

Só para esclarecer, esta carta não questiona a sua existência.

Questiona o nosso relacionamento.

E sincera você sabe que sou, não vou ficar fazendo média com você e com os outros só para me acharem normal.

Normal aqui, você também sabe como é, ou como pelo menos deveria ser...

Ir à igreja, cantar, ouvir alguém falar sobre você, fazer o bem e orar ou rezar...

Mas...

Você também sabe o que virou, né?

Poder, mentiras, hipocrisias, maldades e dinheiro...

Ah...

Muito dinheiro.

Todos vendendo um pouco de bençãos, um pouco de unção, um pedacinho do céu...

A coisa está tão ridícula que para fazer uma campanha de oração (coisa que deveria ser feita particularmente por cada um) em alguns lugares é necessário fazer até prestação. Depois usam o "seu nome" para cobrar as parcelas fazendo ameaças sutis e as vezes partindo para a "santa" humilhação...

Que vergonha...

Pastores hoje tem jatinhos, helicópteros, carros blindados e jet skis. O papa tem um carro de ouro.

E em algum lugar deste mundo, talvez até na avenida aqui em baixo de casa, alguém come restos de lixo.

Pior ainda é saber que as vezes estas próprias instituições se empenham em trabalhos sociais e projetos, só para conseguir tirar mais dinheiro do povo, já que alguns não são tão bobos e não caem em conversas de benção por prestação, mas têm o coração bom e quando lhes é solicitado auxílio financeiro para uma "boa causa", não conseguem dizer não.


Mas?

E você?

Acha isto normal?

... (silêncio.)

Desculpe querido, mas nesta “onda” de normal, meu cérebro me proíbe entrar.

Sábio cérebro. (obrigada por ele...)

Mas...

Vamos esquecer a conduta das religiões.

Religiões...

Não. Não dá para esquecer...

Sobre este assunto eu também tenho dúvidas.

Se é crime ser racista, porque você, justo você escolheria uma religião como certa e faria uso da discriminação?

Desculpe mais uma vez, mas minha boca grande tem que falar.

Por isso mesmo eu as vezes questiono a Bíblia, pois acho que tudo começou com aquela história de Abraão.

Por que meu Deus, me diga, você escolheria uma só pessoa e desconsideraria por ela, o resto do mundo?

Não foram todos feitos por ti?

Por que este negócio de “escolhidos”?

Isto não cria mais guerras e discussões?

Por que Jesus viria para os judeus e só porque não foi aceito, seu amor e sua graça estenderiam-se a nós outros?

E olha que esta é só uma das partes, porque eu ainda nem comecei a falar de Buda, Maomé, São Francisco e Nossa Senhora.

Não comecei e nem vou...

Tô pensando aqui que tô tomando seu tempo... Né?

Mas...

Deus tem tempo?

Não sei.

Nunca tenho respostas.

O que?

Sinais?

Sinais são respostas?

Hummmmmmm... Não sei.

Pode ser acaso.

Acaso ou não, cansei.

Vou dormir.

Mas...

Você sabe, minha mente continuará falando com você sedenta por uma resposta.

Uma resposta que não seja só um sinal.

Uma resposta que mostre de uma vez por todas que seja lá como for , que você também se importa comigo de um jeito mais "divinal".

Um caminho que não seja religião...

Sei lá...

Acho que perdi o rumo da conversa, ou não, vai ver eu falei o que precisava mesmo falar.


Obrigada por me amar!

Obrigada por me dar sinais...

Sinceramente

Lyz



P.S.: Você sabe que eu sou brasileira e não desisto nunca, né?

Obrigada por levar o Max naturalmente e em paz.

Ah! Só mais uma dúvida...

Existe um céu para os animais?

Porque eu disse para ele que existia...

julho 30, 2010

muito triste...



Esta semana foi dose...

Difícil demais...

Além da minha saúde não estar lá estas coisas, o Max ficou muito mal...

A semana inteira ele não se alimentou, água só na boca com seringa.

Mesmo assim, tanto a veterinária como nós, não tinhamos a coragem de decidir pela eutanásia (sacrifício).

Ontem decidimos que hoje a tarde iríamos por um fim neste sofrimento, mas só de ver a carinha dele pela manhã (última foto), desistimos.

Na hora do almoço minha mãe fez um caldo de carne e deu prá ele na seringa, aí ele continuou lá no cantinho dele deitado, sem chorar, sem resgungar ou gemer.

Pouco tempo depois, minha mãe levou ele para o quintal da frente, ele andou um pouquinho como de costume e deitou...

Para sempre...

...Foi assim, sem reclamar, sem dar trabalho e principalmente sem deixar em nós a culpa de ter decidido pela eutanásia.

Que dor ver aquele cachorro tão lindo, tão doce, tão bonzinho, ali, esticado e sem vida...

Em silêncio eu agradeci pelo ótimo cachorro que ele foi e me desculpei por ter sido uma “dona alérgica co-participante”.

Espero que quando chegar no “céu dos animais”, ele possa dar uma lambida na Petty e dizer que eu sinto muitas saudades dela...

Agora deles...

Obrigada por tudo Brancão!

Você foi muito lindo!

Obrigada!

é prático, colorido e bonitinho...

Vários medidores, peneira, escorredor e tigela, tudo encaixadinho...
Além de ocupar pouco espaço e de estar sempre a mão, dá aquela corzinha na sua cozinha. Não é uma graça?

julho 29, 2010

viajar de carona...

"Sinto que o destino também é um relacionamento - uma interação entre a graça divina e o esforço pessoal direcionado. Sobre metade dele você não tem o menor controle; a outra metade está completamente nas suas mãos, e as suas ações terão conseqüências perceptíveis. O homem não é nem uma marionete dos deuses, nem tampouco é senhor do seu próprio destino; ele é um pouco de ambos. Galopamos pela vida como artistas de circo, equilibrados em dois cavalos que correm lado a lado a toda velocidade - com um pé sobre o cavalo chamado "destino", e o outro sobre o cavalo chamado "livre-arbítrio". E a pergunta que você precisa fazer todos os dias é: qual dos cavalos é qual? Com qual cavalo devo parar de me preocupar, porque ele não está sob meu controle, e qual deles preciso guiar com esforço concentrado? Há tanta coisa no meu destino que não posso controlar, mas outras coisas estão, sim, sob a minha jurisdição. Existem determinados bilhetes de loteria que posso comprar, aumentando, assim, minhas chances de encontrar satisfação. Posso decidir como gasto meu tempo, com quem interajo, com quem compartilho meu corpo, minha vida, meu dinheiro e minha energia. Posso decidir o que como, o que leio e o que estudo. Posso escolher como vou encarar as circunstâncias desafortunadas da minha vida - se as verei como maldições ou como oportunidades (e, quando não tiver forças para adotar o ponto de vista mais otimista, porque estou sentindo pena demais de mim mesma, posso decidir continuar tentando mudar minha atitude). Posso escolher minhas palavras e o tom de voz com que falo com os outros. E, acima de tudo, posso escolher meus pensamentos." (Trecho do livro: Comer, Rezar e Amar de Elisabeth Gilbert)


P.S.: Quem não precisa se conhecer melhor?

Quem não precisa fazer mais vezes o que gosta?

Quem não precisa buscar respostar para questionamentos internos?

Quem não precisa começar um novo caminho?

Quem não precisa conhecer novos lugares?

Quem não precisa encontrar o amor?

Leitura divertida, instrutiva e fascinante.

Achei o livro ótimo!

julho 28, 2010

ai meu Deus...

Dá para aguentar tamanha fofurice?
Tô verde!


imagem daqui

dores e cores...

“ A maior dor do vento é não ser colorido...”

(Mário Quintana)

ficou assim...

Ontem mesmo a mamys fez o cachecol durante a novela, aproveitei para tirar a foto e mostrar para vocês. Ela usou um outro ponto de tricô que depois eu anoto certinho e posto aqui. Um novelo da linha NUAGE deu para fazer todo o trabalho. Viu só como ficou uma gracinha? E do "modelo-gato" gostaram?

julho 27, 2010

flor de crochê

Esta flor é uma adaptação minha para a receita da Vitória Quintal, da flor usada para fazer o Cachecolar da Fátima Bernardes. Eu encontrei a receita na net para a minha mãe que já fez váááários...
Adaptei desta forma porque queria usar esta linha mais grossa e da forma como orientada na receita, ficaria muito grande. Depois de pronta e arrematada, você pode usar como brochê, como fechamento de colares ou cachecóis, como enfeite em prendedores de cabelo, fazer guirlandas, enfim o que a imaginação permitir.
Fica a dica de que o resultado é ótimo quando feita em linhas mesclas ou rústicas. Vou colocar o passo a passo e escrever a receita do cachecol abaixo caso alguém queira fazer. Um novelo da linha NUAGE da pingouim é suficiente para fazer a rosa e o cachecol, já que este é curtinho. Minha dica é fazer a flor primeiro e depois o cachecol, assim caso falte linha é só esticar bem o cachecol, mas a flor já estará garantida (rsrsrs).
Como tenho tendinite e não posso dar tanta ênfase a estas paixões (tricô e crochê), faço a flor e minha mãe faz o resto. Mas posso garantir que o ponto é facinho, facinho...


Material:
1 novelo de lã NUAGE da Pingouim;
1 agulha para crochê número 4.5;
1 tesourinha de arremate;
1 agulha para arremate de linha grossa.





♥ Passo a passo:

Comece fazendo 6 (seis) correntinhas e fechando-as com 1 (um) ponto baixo (deixe um pedaço de linha antes das correntinhas).

Continue a fazer mais 6 (seis) correntinhas a partir do ponto baixo feito e feche-as com mais um ponto baixo.

Faça da mesma forma até completar 10 (dez) pétalas, de acordo com a foto acima.

Em cada uma das pétalas, faça 1 (um) ponto baixo, 1 (uma) correntinha, 8 (oito) pontos altos, 1 (uma) correntinha e 1 (um) ponto baixo.

Cada pétala ficará desta forma.

Quando terminar de fazer todas as pétalas, o trabalho estará como na foto acima.

Faça mais 6 (seis) correntinhas e feche-as com 1 (um) ponto baixo.

Continue fazendo da mesma forma até completar 8 (oito) pétalas.

Em cada uma das pétalas, faça 1 (um) ponto baixo, 1 (uma) correntinha, 6 (seis) pontos altos, 1 (uma) correntinha e 1 (um) ponto baixo. Elas ficarão menores.

Quando terminar, corte um pedaço de mais ou menos 40 (quarenta) centímetros e arremate com uma correntinha, puxando a linha pelo meio da correntinha até dar um nó. Esta linha servirá para montar a rosa e depois para costurá-la onde você desejar.

Una esta linha que você deixou de sobra com a linha do inicio do trabalho, pois elas estarão próximas.

Dê um nó, unindo as duas linhas.

Corte a sobra da linha menor.

O trabalho ficará então como o da foto acima.

Comece a enrolar as pétalas menores em círculo, continuando com as maiores.
Verifique se alguma pétala não ficou virada para trás.

Costure pela parte de trás cada uma das pétalas maiores e depois o miolo da rosa. Não tenha medo ou receio de ir até a parte da frente do trabalho, pois a linha é a mesma e não ficará feio. Verifique se o formato está de acordo com o que deseja, caso não esteja, é só modelar e costurar com a linha.

Para arrematar, passe dentro do ponto de costura a linha da agulha e puxe até dar um nó. Faça isto mais umas 3 (três) vezes.

Não corte a linha, pois ela será usada para prender a flor onde você desejar.
Quando for prender, vale a mesma dica de passar a linha até a parte da frente da flor (miolo), pois assim a flor ficará bem presa e seu trabalho estará seguro.

O resultado final é este.
Não fica linda?

Receita do Cachecol (minha mãe faz assim):
Colocar 30 (trinta) pontos em uma agulha de tricô número 7 (sete) e tricotar do começo até o final da mesma maneira:
1 (um) ponto tricô, 1 (uma) laçada, 2 (dois) pontos tricô juntos.
Quando estiver com 40 (quarenta) cm, verifique se dá a volta em seu pescoço, caso esteja curto continue tricotando ou estique um pouco o trabalho, puxando-o algumas vezes. Assim que estiver do tamanho desejado (deve passar pela sua cabeça como a gola de uma blusa), arremate o trabalho da seguinte forma:
1 (um) ponto tricô, volte ele para a agulha, 2 (dois) pontos tricô juntos ( o que voltou e o que seria o próximo e volte ele para a agulha.
Continue arrematando desta forma até o último ponto.
Dobre o trabalho ao meio no sentido do comprimento.
Dê um ponto em cada uma das pontas unindo-as.
Depois junte as pontas e una-as usando a agulha de arremate.
Ficará como uma gola solta e deverá passar pela sua cabeça.
Costure então a flor no mesmo local onde você arrematou o cachecol.
Prenda bem, arremate e corte a linha.
Pronto!
Você fez um cachecol com flor!

P.S.: Como eu disse lá em cima, está é só uma das opções, pois a flor fica linda em outros trabalhos também.
Qualquer dúvida comentem que eu responderei com prazer.
Espero que gostem!
Boa sorte!