fevereiro 02, 2010

floripa...













Fomos em quase todas as praias, fomos à Lagoa da Conceição, descemos as Dunas da Joaquina, comemos anchova, camarão, linguado, salmão, pirão e casquinhas de siri. Consegui tomar suco de beterraba, laranja e cenoura em dois lugares e o restante foi água, suco de abacaxi com hortelã, suco de laranja e quando não tinha jeito coca zero. Salada mesmo, foi difícil de encontrar, mas tudo bem, né? Já que minha mãe me diz que eu pareço coelho de tanta cenoura que como...
Ficamos em duas pousadas super agradáveis o chato mesmo eram os pernilongos, mas resolvemos com citronela.
Levei meu mat, mas não consegui fazer minha prática de yoga por conta de que o espaço era mínimo nos quartos. Fiz apenas uns alongamentos na cama mesmo.
Foi tudo MARAVILHOSO, TRANQUILO e mesmo com chuvas constantes, tivemos dois dias inteiros de sol.
Voltei assim, preta, pretinha (graças as cenouras) e o Lê que é mais clarinho, ficou rosinha dourado.
Adoramos!

"...Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se.
Ter esperança; qualquer esperança.
Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez.
Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim.
Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.
Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a apena.
Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for.
E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer."
(Lya Luft)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

fico feliz quando leio o seu recadinho...
obrigada!