novembro 09, 2009

minha vózinha...


Sempre tive medo deste dia e da dor que viria com ele, pois sabia que não seria fácil aceitar esta despedida...

Minha vó foi minha conselheira, minha amiga, meu porto seguro, meu exemplo de vida e de amor.

Foi ela quem deu a nós os netos, os melhores dias das nossas vidas, as melhores brincadeiras e as melhores histórias...

Nós sempre fomos grudadas e sempre nos entendemos bem.

Eu sempre a amei de todo meu coração e ela me amou incondicionalmente.

Ela e me considerava muito melhor do que eu sou de verdade e sempre acreditou em mim e eu queria ser melhor, porque não queria desapontá-la.


Era uma mulher humilde, que nunca aprendeu a ler nem escrever, porém foi sábia em suas decisões e forte em todos os obstáculos da vida.

Gostava de ajudar e estava sempre disposta a fazer algo para quem quer que fosse...

Fez inúmeros partos, e era tão valente, que sem ajuda de ninguém, trouxe ao mundo seis dos seus oito filhos.

Foi picada por cobra e quase morreu, mas foi corajosa o suficiente para matar outras inúmeras cobras. Orgulhosa sempre gostou de contar estas façanhas...

Suas histórias sempre foram coloridas, cheias de detalhes e mágicas...

Sua criatividade era incrível...

Gostava tanto de crianças que na igreja foi a vózinha de todo mundo...

Deixava a gente brincar em baixo do banco enquanto acontecia aquele culto chato...

No dia da santa ceia, ele sempre fazia pão e levava para a gente não ficar com vontade, e isto foi o motivo de uma história muito engraçada...

Nunca recusou um sorriso ou um carinho para os netos, mesmo depois de trabalhar um dia todo como faxineira...

Ainda posso lembrar de vê-la subindo a rua da minha casa após o trabalho e nós ficávamos tão felizes que corríamos para encontrá-la e abraçá-la...

Depois, a parte melhor era quando arrumava os colchões para dormir e contava casos da fazenda...

Quase nunca sentia frio, adorava plantas e nunca usou uma roupa preta...

Suas mãos eram sagradas, tanto para o trabalho como para as suas constantes orações, pois usava os dedos como método de lembrança para orar diariamente e incansavelmente por cada um dos filhos, netos e amigos, e quando se lembrava de algum possível esquecimento, voltava a orar...

Tinha uma memória excepcional e até o fim foi lúcida e sabia exatamente tudo o que se passava.

Ela gostava de comer mingau de aveia quando acordava e quase sempre dizia que estava com vontade de comer polenta...

Adorava um churrasco, não pelo sabor da carne, mas sim por que a família se reunia, aí ela dizia: Que beleza fia, tá todo mundo junto...

Ela tinha a pureza que hoje em dia é difícil se encontrar...

Seu versículo preferido da Bíblia era: Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! E por esta união ela lutou até o fim.

Foi uma serva de Deus acima de tudo e ao contrário de muitos que professam uma fé de aparência, foi exemplo de cristã em todas as suas atitudes...

Atitudes estas, quase que perfeitas, que puderam mostrar à família e ao mundo o amor genuíno, verdadeiro, aquele que é descrito na Bíblia em I Coríntios 13. Além do amor, ela vivia o fruto do espírito: a alegria, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão.

Dona Maria Aparecida Fatori Rodrigues foi amor, porque viveu o amor e este exemplo de amor ficará em nós, onde quer que estejamos.

Foi uma jóia preciosa que Deus deu de presente para todos que tiveram o privilégio de viver alguns momentos com ela...

Pessoas estas não só as do seu próprio sangue, mas também muitos agregados que a vida gentilmente trouxe a ela.

Todos estes sempre foram recebidos com um sorriso sincero, um abraço gostoso e um coração pronto para abrigar qualquer um que quisesse seu amor...

Foi filha, irmã, esposa, mãe, avó, bisavó, tataravó e cristã exemplar...

Até o seu último dia, serviu de exemplo e teve a nossa admiração e a de todos os médicos e enfermeiros que diziam nunca ter visto uma paciente tão especial...

Especial e única!

Não sei como será nossa vida sem ela, mas tenho certeza que este mundo se tornou melhor por ter tido uma habitante tão doce.

Outra vez usando a Bíblia como referência, recorro ao salmista Davi quando disse que Confirmados pelo Senhor são os passos do homem em cujo caminho ele se deleita. Ele é generoso e a sua descendência é abençoada.

É assim que eu me despeço da melhor e mais linda vózinha do mundo, agradecendo a Deus, o privilégio que temos de ser seus descendentes.

E como em todas as vezes que nos despedíamos, vou dizer pela última vez:

TE AMO MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUITO VÓZINHA!

Obrigada por tudo!

Sua neta Ly



Nenhum comentário:

Postar um comentário

fico feliz quando leio o seu recadinho...
obrigada!