julho 22, 2009

por favor vá...


Gostaria de entender o prazer interno que você possui de se fazer presente, mesmo ausente.
A mim, pessoa física e intelectualmente saudável, você é ausente.
Não é fácil deixar para trás tantos anos vividos e amados, não foi, pelo menos para mim.
Ao escrever isto, não julgo o seu sentimento, julgo apenas o meu.
Para deixá-lo ir, tive que descer ao mais baixo possível estado de desapego.
Deixei ir meus sonhos, meu futuro provável, meus filhos com seus olhos e com nomes sempre discutidos, fotos, viagens, roupas, presentes, emails, sexo, cartões, lembranças, comidas, poemas, música, enfim, tudo aquilo que uma menina já mulher pode dedicar ao “rei” entronizado no seu reino interior, chamado coração, lar ou até mesmo vida.
Deixei ir também a minha dignidade, auto-estima e respeito próprio ao me permitir ouvir as duras e pesadas opiniões suas a meu respeito, ao me deixar ser julgada e ao me colocar a sua disposição para que apenas a sua vontade fosse considerada.
Imagino que você realmente tenha me amado e que também tenha sofrido neste processo de desapego.
As pessoas tendem a confundir aparências com sentimentos, eu procuro não confundir.
Sei o que me custou estar aqui hoje serena, tranqüila e certa de que nada de ruim me acontecerá e que tudo que desejo se concretizará.
Para estar assim, tive que reunir TUDO que me remetia a você, inclusive amizades e soltar ao vento como cinzas, para então me sentir livre e recomeçar.
Neste processo eu cresci muito e vi que não sou apenas uma boneca que está ali só para ser admirada e usada a mercê da vontade alheia, que o dono leva para onde desejar.
Consegui encontrar meu valor, meu ideal e meus próprios sonhos.
Consegui enxergar, admirar e amar ainda mais o espírito que existe dentro deste corpo físico que você tão bem conhece.
Descobri que a felicidade existe no silêncio, na fé, no amor próprio, na esperança , no cultivo do saber e na paciência.
Estou feliz comigo mesma e as demais coisas virão no tempo certo.
Não levarei em conta o fato de você me procurar para falar de coisas bobas, tudo isto é pequeno demais perto da grandiosidade de tudo que escrevi acima.
Já que ambos demos as nossas palavras e concluímos o que você tinha como pendente, acredito não termos mais nada para discutir ou conversar, rir ou chorar.
Não alimente a idéia de ter-me como amiga ou alguém que você possa falar quando quiser, pois a mim esta idéia é inconcebível.
Não por falta de maturidade, pirraça ou mágoa e sim por coerência, pois não é necessário alimentar algo que já deixei partir.
Ninguém ocupa ou toma o lugar de ninguém, cada pessoa tem o seu valor.
Não há desapego para o amor verdadeiro, mesmo que ele deixe de existir fisicamente, permanece vivo no espírito.
Sempre fui sincera quanto a amar.
Exceto algumas palavras desnecessárias, você tem o seu lugar muito bem ocupado em mim espiritualmente, sem a necessidade de que queira estar presente, ou mesmo se faça.

Espero que compreenda.

Lyz Fatori

P.S.: Tô Cansadíssima disso tudo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

fico feliz quando leio o seu recadinho...
obrigada!